3 de set de 2009

Quem tem consciência para ter coragem?

Elemento de marcada presença em nossas relações sociais, o preconceito é um reflexo de valores sociais que nos são impostos desde o dia em que nascemos. Os vários grupos oprimidos pela discriminação - mulheres, negros, homossexuais - são sujeitados dia-a-dia a situações de inferiorização, chacota e até mesmo grave violência. Contudo, não é difícil reconhecer que a minoria homossexual é a principal vítima dessa intolerância. De acordo com Luiz Mott, antropólogo e referência no Movimento Gay, “no Brasil, por conta da homofobia, a cada dois dias, ocorre um bárbaro assassinato de um gay, ou de um travesti, ou de uma lésbica”.


A Universidade, enquanto espaço destinado à socialização do conhecimento e instigação do senso crítico, deveria servir não só para o acúmulo de técnica profissional, mas também para a formação de um cidadão com embasamento humanístico. Todavia, o que encontramos é uma reprodução da heteronormatividade vigente em nossa sociedade. A falta de discussões e proposições acerca da inclusão do cidadão LGBT é latente, manifestando-se na forma da omissão acerca da homofobia existente nas salas de aula, alojamentos, espaços administrativos e de integração do estudante universitário.

A partir da necessidade de inserção do debate homossexual na comunidade universitária e viçosense, nasceu o grupo Primavera Nos Dentes. Esse coletivo é fruto da reflexão de indivíduos que, sentindo a opressão colocada pela “normalidade heterossexual”, tomam pra si a responsabilidade de escancarar o debate LGBT - tantas vezes esquecido ou até mesmo escondido - através da organização desse grupo social e a realização de eventos próprios e com parceiros. Com reuniões formativas constantes desde o início de 2008, o Primavera Nos Dentes já foi responsável pela organização de oficinas sobre diversidade sexual e homofobia para variados grupos da UFV, realização do I Seminário LGBT da UFV, em abril de 2009, e da I Semana de Diversidade Sexual da UFV.

"Qualquer maneira de amor vale a pena 
Qualquer maneira de amor vale amar"  
Milton Nascimento

Um comentário: