16 de dez de 2009

Documentário - Todas as cores da liberdade

   O documentário "Todas as cores da liberdade" trata da Revolução Sexual dos anos 60, com enfoque nos Movimentos Feminista e LGBT. O vídeo foi produzido por Diza Andrade, Raul Gondim, Talita Aquino, Thaís Faria e Thiago Padovan e apresentado como trabalho de conclusão da disciplina Temas Contemporâneos de História, na Universidade Federal de Viçosa. Assista!

23 de nov de 2009

Diversidade sexual, homofobia e nazismo: caminhos de um debate



   Nesta quinta-feira, 26 de novembro, o Gupo Universitário de Diversidade Sexual Primavera nos Dentes em conjunto com a Contemporâneos realizarão o evento Diversidade Sexual, Homofobia e Nazismo: caminhos de um debate.

8 de nov de 2009

Ato público lança grito contra homofobia

O grupo universitário de diversidade sexual Primavera nos Dentes e parceiros convocam a todos para participar de ato público contra homofobia nesta quarta-feira, 11 de novembro, no barzinho do DCE, entre 12h e 14h.

4 de nov de 2009

Nota de Repúdio da diretoria LGBT da UNE contra ato de Homofobia na Marcha Nico Lopes - UFV‏

   A 1ª Diretoria LGBT da União Nacional dos Estudantes vem repudiar o ato de homofobia ocorrido na Marcha Nico Lopes, evento político cultural de tradição realizado na Universidade Federal de Viçosa – MG.

3 de nov de 2009

Mensagem do Reitor Luiz Cláudio sobre o caso de homofobia na Nico Lopes

Transcrevemos aqui, para conhecimento de toda comunidade universitária, a resposta do Reitor Luiz Cláudio Costa ao lamentável episódio de homofobia ocorrido durante a Marcha Nico Lopes. Na ocasião, estudantes universitários atearam fogo à bandeira do Orgulho Gay, sob comentários de explícita homofobia.
Prezados Estudantes,

Estou tomando conhecimento, neste momento, do lamentável e inaceitável ato de homofobia ocorrido durante a Marcha Nico Lopes. Gostaria portanto de esclarecer que se soubesse do incidente antes da minha fala no ato realizado na avenida Santa Rita teria deixado claro meu repúdio ao mesmo, o que faço agora. A Homofobia, além de ser um crime (sic) é em todos os sentidos um ato que não podemos admitir na sociedade, e muito menos na Universidade Federal de Viçosa. No que se refere ao caráter da Marcha Nico Lopes, tenho o entendimento que é um espaço de luta política, o que tenho manifestado por reiteradas vezes. No entanto, o respeito que tenho pelo movimento estudantil, demanda, da mesma forma que faço com o movimento dos servidores e professores, respeito pelo que é organizado pelo órgãos representativos dos segmentos. Cabendo à reitoria o apoio estrutural possível, que este ano, por ser a comemoração dos 80 anos da Marcha, entendemos que a programação cultural, com a presença de Alceu Valença, faria justiça a essa manifestação estudantil tão importante para Viçosa e para o País. Ao finalizar reitero, mais uma vez, o meu repúdio ao ato de Homofobia aqui relatado.

Luiz Cláudio Costa
Reitor da UFV

1 de nov de 2009

Homofobia em marcha estudantil da UFV

   No último sábado, dia 31 de outubro, uma bandeira do Orgulho Gay foi queimada por, segundo testemunhas, três estudantes universitários durante o evento Marcha Nico Lopes 2009, organizado pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Viçosa. O DCE-UFV, responsável pela marcha, que deveria possuir caráter essencialmente político, foi informado por três vezes sobre o ocorrido e nada fez.

26 de out de 2009

Marcha Nico Lopes 2009




   A Marcha Nico Lopes é um evento tradicional que ocorre em Viçosa desde 1929. Historicamente promovido pelo DCE da UFV, é um marco para a comunidade acadêmica, assim como para a sociedade viçosense. Conheça um pouco da história dessa Marcha. Em 2009, o nosso bloco vai colorir as ruas de Viçosa novamente!


15 de out de 2009

ELAS - Rompendo com a invisibilidade e o preconceito

No dia 19 de setembro, o Primavera Nos Dentes e a Marcha Mundial das Mulheres promoveram o debate "ELAS - Rompendo com a invisibilidade e o preconceito".

Com a participação de Soraya Menezes e Eliane Dias, da ALEM - Associação Lésbica de Minas e Juliana Bavuzo, representante da Marcha Mundial das Mulheres, em uma mesa redonda.

Após o debate, as participantes elaboraram fanzines relacionados com o tema.



- O debate:







- A oficina de fanzine:




11 de out de 2009

Anos 90: Será que eles foram?








   O Primavera Nos Dentes, em parceria com a Backfire At The Disco e o Cineclube Carcará, realiza nos dias 15, 16 e 17 de outubro a mostra de filmes “Anos 90: Será que eles foram?”. A mostra pretende resgatar alguns dos filmes que durante a última década deram visibilidade à comunidade LGBT e à cultura gay, até então escondida na grande tela através de entrelinhas e frases dúbias. Confira a programação!



24 de set de 2009

Por que "Primavera nos Dentes"?

   Para quem não conhece a origem do nosso nome, confira o vídeo e a letra da música "Primavera Nos Dentes", do grupo Secos & Molhados!








17 de set de 2009

ELAS - Rompendo com a invisibilidade e o preconceito



   No PRÓXIMO sábado, dia 19 de setembro, o Primavera Nos Dentes e a Marcha Mundial das Mulheres realizam o debate "ELAS - Rompendo com a invisibilidade e o preconceito". O encontro contará com uma mesa-redonda e uma oficina de fanzines. O seminário pretende trazer à comunidade universitária e viçosense temas como protagonismo feminino e lesbianidade.

15 de set de 2009

Homofóbicos, fuck you!

Video francês feito pelos leitores do site http://www.GayClic.com, postado no dia internacional contra Homofobia, dia 17 de maio de 2009.

3 de set de 2009

Quem tem consciência para ter coragem?

Elemento de marcada presença em nossas relações sociais, o preconceito é um reflexo de valores sociais que nos são impostos desde o dia em que nascemos. Os vários grupos oprimidos pela discriminação - mulheres, negros, homossexuais - são sujeitados dia-a-dia a situações de inferiorização, chacota e até mesmo grave violência. Contudo, não é difícil reconhecer que a minoria homossexual é a principal vítima dessa intolerância. De acordo com Luiz Mott, antropólogo e referência no Movimento Gay, “no Brasil, por conta da homofobia, a cada dois dias, ocorre um bárbaro assassinato de um gay, ou de um travesti, ou de uma lésbica”.